Pesquisar
Close this search box.

Artigos

Post: PREVENÇÃO DO SUICÍDIO DE JOVENS

Início
News
Post

O chamado Setembro Amarelo nos reforça a obrigação de falarmos sobre os processos autodestrutivos. Entre os temas mais delicados está o suicídio. O suicídio é a principal causa de morte entre jovens em idade escolar.

No entanto, o suicídio é evitável. Os jovens que estão pensando em suicídio frequentemente dão sinais de alerta de sua angústia.

Pais, professores e amigos estão em uma posição-chave para detectar esses sinais e obter ajuda. O mais importante é nunca tomar esses sinais de alerta levianamente ou prometer mantê-los em segredo.

Quando todos os adultos e alunos da comunidade escolar estão empenhados em fazer da prevenção do suicídio uma prioridade – e têm autonomia para tomar as medidas corretas -, podemos ajudar os jovens antes que eles se envolvam em comportamentos com consequências irreversíveis.

Fatores de risco de suicídio

Embora longe de ser preditores perfeitos, certas características estão associadas ao aumento da probabilidade de ter pensamentos suicidas. Esses incluem:

  • Doença mental, incluindo depressão, distúrbios de conduta e abuso de substâncias;
  • Estresse/disfunção familiar;
  • Riscos ambientais, incluindo a presença de arma de fogo em casa;
  • Crises situacionais (por exemplo, morte traumática de um ente querido, abuso físico ou sexual, violência familiar).

A maioria dos jovens suicidas demonstra comportamentos observáveis que sinalizam seu pensamento suicida. Esses incluem:

  • Ameaças de suicídio na forma de declarações diretas (“Eu vou me matar”) e indiretas (“Eu gostaria de poder dormir e nunca mais acordar”);
  • Notas e planos de suicídio (incluindo postagens on-line);
  • Comportamento suicida anterior;
  • Fazer os arranjos finais (por exemplo, fazer arranjos para o funeral, escrever um testamento, distribuir bens valiosos);
  • Preocupação com a morte;
  • Mudanças de comportamento, aparência, pensamentos e/ou sentimentos.

O que fazer?

Os jovens que se sentem suicidas, provavelmente não procuram ajuda diretamente; entretanto, pais, funcionários da escola e colegas podem reconhecer os sinais de alerta e tomar medidas imediatas para manter os jovens seguros.

Quando um jovem dá sinais de que pode estar pensando em suicídio, as seguintes ações devem ser tomadas:

  • Fique calmo: Concentre-se na sua preocupação com o bem-estar deles e evite ser acusador. Ouça;
  • Tranquilize-os de que existe ajuda e que não se sentirão assim para sempre. Não julgue;
  • Forneça supervisão constante. Não deixe os jovens sozinhos;
  • Remova os meios de autoagressão;
  • Obtenha ajuda: Ninguém deve concordar em manter os pensamentos suicidas de um jovem em segredo e, em vez disso, deve contar a um adulto que cuida dele, como um pai, um professor ou um psicólogo escolar. Os pais devem buscar ajuda da escola ou de recursos comunitários de saúde mental o mais rápido possível. Os funcionários da escola devem levar o aluno a um administrador ou profissional de saúde mental empregado pela escola ou em clínicas especializadas.

Por Prof. Ms. Almir Vicentini, Professor, Palestrante e Curador dos Projetos Escola da Família e Universo Educação Full Sail University/USA. Artigo publicado originalmente na edição n° 264 da RevistAE, em Setembro/2021.

×